quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

APLAUSOS PARA JESUS



                                  APLAUSOS PARA JESUS
A moda de aplaudir Jesus veio para ficar e ficou! De vez em quando o “ministro de louvor” manipula a platéia poluindo o culto com uma saraivada de aplausos para Jesus. Alguns pastores, antes de iniciar a sua mensagem ordenam ao rebanhão: “Jesus merece uma salva de palmas nesta noite”. E, tome aplausos! Nesse contexto, Jesus é o grande artista da noite. E, para variar, junto com os aplausos vêm os assobios e o gritinho moleque do pastor: “uuuuuuu!”.

No Novo Testamento não encontramos nenhuma referência ao de aplaudir, muito menos em relação a uma atitude cúltica. O Novo Testamento nos convoca a prestar a Deus um culto “Logiken Latria”, ou seja, um culto inteligente, racional (Rm 12:1). O culto racional não requer expressões gestuais, sacolejos, assobios, rodopios, requebros, meneios, catarse, gritarias histéricas, e nem aplausos para Jesus. A igreja não é um parque de diversão. Não é um clube sócio-esportivo. Não é um salão de festas. “Aplausos” cabem onde há desfiles, reuniões sociais específicas, calouros seculares mediáticos e afins. Aplausos só servem para incendiar o emocionalismo. Culto a Deus requer quebrantamento, humilhação, contrição, lágrimas, confissão, arrependimento, contentamento espiritual. Tudo bem distante de gritinhos, pulinhos, rebolados e aplausos como se estivesse diante de uma cena teatral.

Inevitavelmente, os incendiários aplausos para Jesus incentivado pelos líderes moderninhos fomentam os ritmos dançantes na hora do louvor. O culto com todo tipo de parafernália tecnológica: telões Led, jogos de luzes e fumaça, transforma-se em show. Instigado pelas palavras hipnóticas do “ministro de louvor” o “carnaval carismático” é estabelecido. E haja “salva de palmas para Jesus”. Alguns dizem: “Aplausos, não é nada de mais, é cultural”. Esquecem os que assim dizem que Abraão, o pai dos fiéis, foi chamado a abandonar a cultura de um mundo pagão e viver uma vida de maneira totalmente distinta para o Senhor. O Antigo Testamento apresenta inúmeros exemplos da ira de Deus contra qualquer mistura com outras culturas, no culto a Ele. Nos tempos de Neemias, uma câmara no Templo foi dada a Tobias, o amonita, por um sumo sacerdote corrupto e tolo. Neemias “atirou todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara” e, toda a área foi cuidadosamente purificada. Nos nossos dias, a mesma purificação é necessária. É preciso rejeitar as brincadeirinhas, as piadinhas, o louvor de “palco”, inclusive e os famigerados aplausos para Jesus.

Os pastores moderninhos são “mestres” de fábulas. Apelam astuciosamente ao gosto popular. Esses réprobos, não sacrificam coisas mundanas. Estão arraigados a uma cultura podre. Em suas igrejas, prestam o culto-espetáculo, com exibições mundanas, busca de sensações e aplausos, aplausos e aplausos. Desse modo, a profunda reverência ao Senhor foi perdida e o respeito tornou-se insípido. Na verdade, o slogan que está impregnado nos corações dos “mestres” de fábulas é: “Dêem-nos um Deus que se conforme ao nosso nível”. Eles acham que o culto sem as “palmas para Jesus” é um culto quadrado, ultrapassado. Nos dias de Paulo, os filósofos de Atenas, passavam o tempo ouvindo qualquer teoria nova que chegasse ao Areópago. Assim são os pastores moderninhos dos “aplausos para Jesus”, obcecados pela idéia de que o novo é ótimo e o velho é quadrado, ultrapassado e ruim. 
 
O desenvolvimento deste “novo culto” com aplausos para Jesus não é modelado por qualquer exemplo bíblico, nem mesmo por práticas das igrejas genuinamente bíblicas. Não há nenhum registro histórico ou arqueológico que prove que os crentes primitivos e aqueles que os seguiram no tempo praticaram a “salva de palmas para Jesus” na adoração comunitária. O culto com aplausos para Jesus nada mais é do que um método de manipulação de massas. “Aplausos para Jesus” é leviandade, trivialidade. Os pais da igreja nunca se utilizaram desse expediente tolo. Jesus não é artista e nem papai Noel, é Senhor! Quando Jesus precisar de aplausos, não será Jesus.

Em Números 3:4 está registrado que Nadabe e Abiú morreram quando ofereciam fogo estranho perante o Senhor. Eles introduziram no culto aquilo que Deus não ordenou. Em Êxodo 25:13-14, Deus prescreveu o modo como a arca deveria ser carregada. Davi, querendo imitar o modo como os filisteus carregaram a arca, descartou a ordenança do Senhor colocando a arca num “carro novo”. “Carregar a arca nos ombros com varas de acácia, jamais” pensou Davi. Na trajetória, por vontade soberana do Senhor, os bois tropeçaram e para que a arca não caísse, Uzá estendeu a sua mão para segurá-la. Uzá violou aquilo que Deus havia prescrito em Números 4:15 – “Nas coisas santas, não tocarão, para que não morram”. O Senhor feriu Uzá por sua irreverência. No culto a Deus deve constar somente aquilo que Ele ordenou. A introdução de elementos mundanos ou não fazer conforme aquilo que não está prescrito tem consequências graves. Os aplausos para Jesus é o “fogo estranho”, é o “carro novo” que devemos repugnar!

Tenho dito,

Ir. Marcos Pinheiro

4 comentários:

  1. Pastor Marcos, gostei muito do texto. É vergonhoso o que está acontecendo com a igreja atual. Quanto a bater palmas na igreja, queria que o senhor lesse com muita atenção o Salmo 47, em especial os versos 1 e 7; e examine nos originais se aplaudir a Deus é mundanismo ou adoração.
    Não esqueça Pastor Marcos, que os fundadores das Assembléia de Deus eram homens de Deus, mas, não eram perfeitos, sendo assim, sujeitos a erros e exageros, pois o aplaudir com as mãos não era e nem é errado.
    que a Paz do Senhor habite em nós.

    ResponderExcluir
  2. Irmão Marcos, o senhor diz que não encontramos na Nova Aliança que a igreja aplaudia a Jesus, e nem há registros de que a igreja dos 1°séculos aplaudiam a Cristo nos seus cultos. Ora meu amado irmão, se partirmos dessa ótica, quantas coisas adotadas pelas igrejas cristãs, até mesmo as ADs primitivas e que, não há registro no NT, e nem na história da Igreja. Darei apenas dois pequenos exemplos:
    Onde está Escrito no NT que temos que construir templos grandes ou pequenos para nos congregar? Não seria isso também antibíblico? Mas nem eu, nem o senhor pensamos assim, não é irmão?
    Também em nenhuma passagem do NT encontramos que as mulheres podem mostrar as pernas abaixo dos joelhos e os homens não, no entanto, se vermos um irmão com uma bermuda bem abaixo dos joelhos (bermudão) o chamaremos de mundano, porém se for uma irmã com saia não muito abaixo dos joelhos, em cima deles apenas a chamaremos de espiritual.
    Mesmo sabendo pela ótica instintiva e científica, que o homem, é mais atraído pela visão (sexualmente falando) do que a Mulher. Isso torna os costumes judaicos melhores que os nossos onde as vestes femininas eram bem mais longas que a dos homens chegando aos pés.
    Bem não vou me prolongar mais, se o Senhor Pastor Marcos quiser refutar minhas conclusões fique a vontade. Quero que o senhor entenda essa minha discordância com suas declarações sobre o BATER PALMAS na Igreja, não como afronta, mas como uma admoestação espiritual, pois, nem tudo o que aprovamos Deus aprova; e o que reprovados ele reprova. Tem que ter base sólida, como a maioria dos seus estudos; e nos temos as escrituras que nos diz: Batam palmas a Deus todos os povos... SI 47.1;...com Sabedoria. Se 47.1.7.
    A Paz do Senhor varão.

    ResponderExcluir
  3. Prezados irmãos, graça e paz!
    Sabemos que há atos litúrgicos que são negociáveis e que as motivações somente Deus pode julgar.
    A respeito do novo ingrediente "o aplaudir o Senhor Jesus" nos cultos algumas perguntas gostaria de fazer e se algum irmão em Cristo puder nos ajudar a esclarecer acredito que poderemos ser abençoados.

    A partir de quando essa pratica começou a aparecer em nossos cultos?
    Qual foi o evento que inaugurou essa pratica em nossas igrejas brasileiras, qual é a sua origem?
    Qual é o seu verdadeiro proposito?
    Sou cristão convertido ao evangelho de Jesus a 30 anos, porque só agora essa pratica teve inicio em nossos cultos?

    Temos que fazer essas e outras perguntas para uma saudável discussão do tema.
    O que me preocupa no tocante a essa pratica é que ovacionar alguém publicamente é o elogio máximo que damos aos mortais em uma apresentação seja qual for e esse modelo tornou-se também nossa expressão ápice de louvor ao Eterno.
    Seria tão bom se aprendêssemos adorar a Deus como nas escrituras, onde o reconhecimento da Gloria de Deus e de suas manifestações de poder sempre vem acompanhadas do prostrar-se, ajoelhar-se, inclinar-se e por aí vai. Sempre junto a uma postura de humilhação diante da santidade de Deus. Até nos céus é dito que assim será.
    Precisamos rever nossa relação com Deus, o transformamos em um ídolo, onde fazemos um culto para obter seus favores. Nosso culto é centrado no que Deus pode fazer a nosso favor, desde as musicas até as pregações. O culto é bom quando saímos bem do mesmo, muitos de nós perdemos a sensatez e a sobriedade de querermos Deus pelo que ele é e pelo que ele já fez na cruz por nós.
    Que o senhor tenha muita misericórdia de nossa geração.

    ResponderExcluir
  4. Muitos falam o capítulo de 47 de Salmos, mas esquece que naquele tempo as palmas era permitido , pq era reverente a glória era pra Deus somente, mas Jesus veio e em suas reuniões não existia aplausos para ser um reunião racional , , aplausos só serve para engrandecer oa líderes e dá euforia os seus servos. Deus merece toda honra e um culto racional. o mundo tem que ficar fora da igreja e das pessoas que querem seguir a Deus. Ser totalmente diferente do mundo e não semelhante.

    ResponderExcluir