domingo, 24 de janeiro de 2010

FREUD E A BÍBLIA

Freud e a Bíblia




A nossa época é caracterizada por uma influência das teorias freudianas na igreja cristã. O avanço é tão alarmante que ministros de todas as denominações cristãs estão procurando respostas para o problema humano e em particular de suas ovelhas, fora da Bíblia. É cada vez maior o número de ministros que têm procurado os cursos de formação rápida de psicanálise tentando conciliar Freud com a Palavra de Deus. Trata-se de uma tarefa impossível, pois é gigantesca a distância entre as doutrinas cristãs e as teorias de Freud. Tentar aliar os conselhos da psicologia freudiana à sã doutrina da teologia bíblica é o mesmo que tentar unir o chão que pisamos com as nuvens do céu.
Para sustentar suas teorias ímpias, Freud argumenta que “o inconsciente é a maior força motivadora que subjaz todo o comportamento humano”, ou seja, o inconsciente de uma pessoa guia mais o seu comportamento que a sua mente consciente. Esta tese de Freud é antibíblica, porque se o homem é guiado pelo inconsciente e não pela razão consciente, isto deixa a humanidade sem nenhum parâmetro para a responsabilidade moral. Desse modo, mesmo que uma pessoa cometa o pior crime, pode alegar que é vítima do desconhecido inconsciente. Em Romanos 1:21 a Bíblia diz que os homens “se tornaram nulos em seus próprios raciocínios”. Portanto, não são as forças inconscientes que forçam a pessoa ser e fazer o que faz, mas a razão consciente. Freud ainda afirma que “tudo que já aconteceu a uma pessoa é localizado em sua mente inconsciente”. Ou seja, para Freud a mente inconsciente seria um mecanismo ativo determinando tudo quanto a pessoa é e será. Nesse caso a mente inconsciente passa a ser uma espécie de “deus” interior. Portanto, a terminologia “mente inconsciente” é mais uma forma do homem fugir de Deus para as fantasias e ilusões de sua própria mente, numa tentativa de criar deuses a sua própria imagem e semelhança. Isso se encaixa perfeitamente no que o apóstolo Paulo diz em Romanos 1:22, 23: “inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis”.
Outra invenção de Freud que influenciou profundamente a sociedade e agora está seduzindo a igreja cristã é a idéia de que “para todos os propósitos práticos, a personalidade adulta está formada ao fim do quinto ano de vida passando por certos estágios psicossexuais de desenvolvimento que determinam que tipo de personalidade ele ou ela terá quando chegar à idade adulta”. A simples observação do que ocorre na vida real pode mostrar a falácia desta tese que não tem nada de científico. Há pessoas cujos primeiros cinco anos de vida foram vividos em um ambiente onde elas não sofriam nenhuma frustração do ponto de vista humano, e, no entanto, se tornaram adultos tremendamente problemáticos, fracassados e infelizes. Por outro lado, há casos de pessoas cujos primeiros anos de vida foram marcados por frustrações, medos, pânicos, carências de toda espécie, e, no entanto, se tornaram adultos bem ajustados, realizados e felizes. Isso mostra que o destino das pessoas está primeiramente nas mãos do Deus Todo Poderoso que fez os céus e a terra, e que pode fazer o fraco ser forte e o forte ser fraco. Na verdade, o que determina o futuro de alguém não são os primeiros anos de vida, e sim a sua relação com o Deus vivo, o Deus da Bíblia, que em Jesus Cristo pode transformar qualquer fracassado num sucesso.
Outra tese freudiana é que “se quisermos experimentar mudanças significativas devemos lembrar e experimentar novamente incidentes dolorosos no passado”. É importante saber que foi por meio de “memórias” de experiências passadas, despertadas em seus pacientes sob a influência da hipnose, que Freud desenvolveu suas teorias. Foi por meio da regressão hipnótica que ele “descobriu” que seus pacientes “eram impulsionados por idéias, sensações e emoções que haviam sido reprimidas e sepultadas desde a infância”. O apóstolo Paulo diz em Coríntios 5:7 “se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. Assim, aquele que teve seu passado, presente e futuro resolvidos em Cristo, deve esquecer o passsado e avançar, a partir do presente, para o futuro que o Senhor lhe tem garantido. A Bíblia não registra um profeta, um sacerdote ou apóstolo lidando com sensações e emoções sepultadas ou reprimidas na infância. Freud via a solução dos problemas presentes numa constante volta psicanalítica ao passado. Lamentavelmente a metodologia humanista, antibíblica e anticientífica de Freud encontrou espaço na igreja cristã pós-moderna através da chamada “terapia de regressão ao passado”. O que liberta o homem de traumas passados não são experiências humanistas, mas sim, e tão somente, a obediência à palavra de Deus, conforme João 8:32 “e conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.
Freud dizia: “o comportamento presente do homem é determinado por conflitos não resolvidos na infância”. Em Gálatas 6:7 lemos: “não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará”. Segundo a Bíblia, o comportamento presente do homem pode ser afetado por qualquer pecado feito em qualquer época, seja na infância, adolescência, juventude, fase adulta, meia idade ou velhice, que não tenha sido tratado de modo bíblico, isto é, baseado em arrependimento, restituição e reconciliação.
Os princípios de Deus contidos na Bíblia são inerrantes. Por isso, eles são a rota certa para todo os homens. Todas as rotas da teoria freudiana são enganosas, superficiais e passageiras, mas na rota de Deus encontramos gozo verdadeiro e duradouro – “o que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica” (Salmos 119:50).

Marcos Pinheiro é engenheiro e professor da Unifor.
Marcos_apb@unifor.br

13 comentários:

  1. "a metodologia humanista, antibíblica e anticientífica de Freud encontrou espaço na igreja cristã pós-moderna através da chamada “terapia de regressão ao passado”" Nunca vi tanta besteira em uma única frase!

    ResponderExcluir
  2. Marcos te sugiro um novo livro: Pastores Preconceituosos? Essa não!

    ResponderExcluir
  3. "O homem pode ser qualquer coisa,por isso pessoas ingnotantes não entendem a biblia e freud."

    "somos consciente mas incosciente para querrer comparar,freud e e biblia,pois ng sabes quem escreveu a biblia, e freud podes e tem o direito de impor tb seu pensamento,no qual nos faz pensar e ser mais intligivel."

    ResponderExcluir
  4. Será que o Dr. Sigmund Freud foi para O céu ou para o inferno ?

    ResponderExcluir
  5. Se eu lesse este artigo há um ano atrás, concordaria com o tal de Netun. MAS, depois de mais de dez anos de psicanálise (como paciente), de uma vida intelectual atéia e de uma experiência extraordinária espiritual no último ano (inclusive sou a prova viva de milagres até na área da saúde) tenho que testemunhar que acho que o pastor está certo.
    Efetivamente a psicanálise explica muitas coisas, mas, segundo minha experiência pessoal, SÓ DEUS CURA. Mas esta é uma experiência de outra ordem (espiritual) _ "as coisas de Deus parecem loucura ao homem natural" - é impossível racionalizá-la. Só quem passa entende. Por isto os crentes parecem fanáticos e surdos à razão para os que não são - você vive uma outra coisa mesmo.
    E o problema é básico, não há meio termo - ou você acha que Jesus foi um maluco OU você crê que ele é o filho de Deus. E se você crê nele, tudo muda. Não dá, mesmo, para conciliar com psicanálise ou qualquer outro parâmetro de valor que não o próprio Jesus. Ele é bem claro:
    "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim".
    Só vivenciando milagres para entender de fato.
    Aqui fica me depoimento (ex-atéia radical, ex-amante da psicanálise; atual convertida, mãe apaixonada pelo filhote, mulher apaixonada pelo marido e eternamente grat ao Senhor que me livrou de um câncer):
    não zombem sem saber do que estão falando. EU SEI o quanto SOA ignorante nos nossos dias, MAS NÃO É! Experimentem ler a Bíblia, pelo menos as palavras de Jesus.
    Deus os abençoem.

    ResponderExcluir
  6. Marcos, será que conseguirei escrever no amor de Cristo e sem magoá-lo? Reconheço que és sincero e procuras o bem quando tentas defender tuas teses. Uma vez alguém me disse que Calvino era um herege e eu perguntei: “já lestes as Institutas de Calvino?” ao que ele respondeu que não! Quando eu era menino ainda os mesmos enganos que cometes eram cometidos por membros da Assembleia de Deus, dizendo que a TV era do diabo e tua denominação hoje usa a TV para a glória de Deus. Maridos não deixavam suas esposas irem ao médico e tentavam curar seus problemas de útero e ginecológicos com orações e muitas delas morriam, porque o que Deus deixou como ciência Ele quer que seja usado. Hoje este engano continua na área da mente, porque está muito próximo ao aspecto espiritual do homem. Davi pediu para que Deus curasse seus pecados ocultos (inconscientes) e falou à sua psique para se acalmar, quer dizer, combateu a ansiedade e depressão com autoanálise! O primeiro erro teu em teus escritos é que trabalhas na base do andar de cima (como as repostas de Jesus) e confundes ao mesmo tempo com o andar de baixo (como as perguntas dos fariseus). O testemunho desta senhora, num comentário, diz respeito a uma cura física (câncer) que Deus fez (andar de cima) e da terapia que ela parece não ter aprovado (andar de baixo, ciência) e que seu problema espiritual foi resolvido pela conversão (andar de cima) e não pela psicanálise: não poderia mesmo porque as coisas espirituais se discernem espiritualmente. Marcos, em tuas pesquisas na engenharia, por exemplo, para calcular o peso de uma estrutura usas a máquina de calcular (andar de baixo) ou a Bíblia (andar de cima)? Portanto, irmão querido, precisarias estudar psicanálise profundamente e profundamente a Bíblia, para defenderes qualquer tese sobre os dois lados. Mas és engenheiro. Sou teólogo, pastor e psicanalista e especializando em psicopedagogia. Já fui chamado para resolver problemas que um psiquiatra diria mentais e acabei expulsando demônios. No meu consultório já chegaram pessoas que achavam estar com algo que Deus curaria, mas Deus estava sinalizando para a ciência, pois era problema mental. E já tive casos de problemas mentais curados de tal forma rápidos que não consigo pensar que não houve milagre ali. O problema, meu irmão querido, é o profissional ser bom o suficiente para separar o espiritual do científico, o remédio direto de Deus do remédio de Deus por intermédio da natureza! Eu recebi de Deus, tenho inteira convicção, o ministério de estudar e ajudar a separar o espiritual do científico nas duas áreas de minha formação. Daí já ter alguns escritos meus em meus blogs. Obrigado, Gedson Lidorio.

    ResponderExcluir
  7. O MESTRE RELIGIOSO PRECISA DE PROFUNDO PREPARO.

    Sobre o verso em epígrafe deste blog:

    "Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina como para convencer os contradizentes" (Tito 1: 9)


    Objetivos do admoestador ou defensor da fé (mas não defensor de Deus!):
    (1) “admoestar com a sã doutrina;
    (2) "convencer os contradizentes”.

    Os objetivos se referem aos membros da comunidade (admoestação) e aos de fora (contradizentes).

    Para alcançar bem estes objetivos o mestre deve ter qualificação ("para que seja poderoso").

    Para ser qualificado é necessário usar bem as ferramentas: “retendo firme a fiel palavra”.

    Não se pode reter aquilo que não se tem. Se quiseres reter parte das águas da chuva deves ter uma barragem ou pelo menos um balde! A palavra deve ser estudada, compreendida, aprendida profundamente; deve ser o admoestador um mestre, um professor. E qual professor, até mesmo nas escolas seculares não são primeiramente capacitados em anos de estudo, qualificados, especializados em suas áreas para depois atuarem? Já vistes um professor que estudou o primeiro semestre de uma faculdade estar apto para lecionar noutra faculdade? Não! Depois da graduação (quatro anos pelo menos) tem a ainda o mestrado!
    Enganamo-nos quando comparamos a qualificação do professor secular com o mestre na Igreja de Cristo pelo lado acadêmico. Não, a comparação deve ser sobre a profundidade e o tempo de horas dedicados, seja um mestre formado nos limites eclesiásticos somente ou em faculdades de teologia. O importante não é o diploma ou reconhecimento do MEC, nesse caso, mas o verdadeiro preparo para que “seja poderoso” tanto para admoestar como contradizer.Obrigado. Gedson Lidorio.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. O Sr. conhece o método ADI/TIP? Criado pela psicóloga Renate Jost? Gastou sua vida para descobrir a verdade. Estudou muito, uniu seu conhecimento que é pura inspiração e dom de Deus. Foi uma filha que soube reconhecer qual era sua missão aqui na terra. Gedson, acredito que com sua bagagem acadêmica e espiritualidade irá gostar de conhecer este trabalho a luz do evangelho.



      http://www.tipclinica.com.br/

      https://www.youtube.com/watch?v=CTKnzZ50zIU

      https://www.youtube.com/watch?v=dpnZjlkrpGY

      Excluir
  8. A Paz do SENHOR , em meio de tanta crítica venho lhe agradecer pelo documentário , comecei a cursar licenciatura em pedagogia e me perguntava sobre essas teses tão loucas de Freud , mas você caro irmão pode com a ajuda do Espírito Santo me clareou a mente , muito obrigado que Deus lhe gurde !

    ResponderExcluir
  9. Este tal Freud que muitos idolatram não passou de um depravado sem temor a Deus, daí o motivo de ter dito tantas asneiras. Mas como está escrito na Palavra de Deus"o mundo jaz no maligno",está aí a explicação do motivo pelo qual até hoje suas teses são tão aceitas.

    ResponderExcluir
  10. Este tal Freud que muitos idolatram não passou de um depravado sem temor a Deus, daí o motivo de ter dito tantas asneiras. Mas como está escrito na Palavra de Deus"o mundo jaz no maligno",está aí a explicação do motivo pelo qual até hoje suas teses são tão aceitas.

    ResponderExcluir
  11. Um dia me perguntarm: qual a autoridade da Psicologia? Eu repondi: humana.
    Depois a mesma pessoa me perguntou: qual a autoridade da Bíblia? Eu respondi: Divina.

    A convença acabou por ali. Eu entendi. Integrar o incorruptível com o corrupivel, é impossível. Vote os a suficiência das escrituras. SOLA SCRITURAS.

    ResponderExcluir